sábado, 16 de abril de 2016

Sobre aprender...



Aprender é um processo contínuo que na maioria das vezes não é fácil, principalmente quando relutamos em refletir e repensar sobre nossas ações, quando estamos presos à ideias ou conceitos, muitos dos quais não queremos abrir mão.
O aprender antes de nos brindar com a alegria da construção do nosso ser, leva-nos a desconstrução de alguns aspectos que trazemos ao longo de nossa vida. 
Nesse sentido, o aprender nos leva à vivência de novo processo de aprendizado "o apreender", um olhar mais profundo sobre a forma que vemos e fazemos a nossa história.  Pois, aprender requer mudanças, requer que percebamos a nossa trajetória, que analisemos a nossa alma.
Todo esse processo acontece ao longo da nossa vida a partir de percepções, da necessidade de não aceitar o que está posto, uma negativa do próprio eu em aceitar no que estamos nos tornado, uma forma de clamor de alma para o resgate de vida.
É um caminho tortuoso, difícil, com grandes obstáculos diários, é um desafio de vida para a reelaboração de um novo jeito de caminhar, de se perceber e principalmente, de viver a vida.
Desta  forma, convido-os a experimentar um novo jeito de pensar sobre si mesmo, sobre suas ideias mais  arraigadas, sobre o que acreditas acerca de suas posturas mais corretas, sobre sua forma de viver e conduzir sua caminhada. Será que esse é o verdadeiro caminho?    


Maria Cristiane Gomes
abril/2016
Sobral/Ceará
   
  





P.S.: imagem de https://www.pinterest.com/pin/532621093410352000/ 


terça-feira, 5 de abril de 2016

Uma explosão de ideias







              As ideias são criadas por estruturas psicológicas em processos de criação e reelaboração de pensamentos a partir de reflexão sobre as nossas ações e das nossas interações com os outros. 
           Quando paramos para  percebermos onde estamos, como estamos, o que nos cerca, o que vemos e como vemos, quem influenciamos e quem nos influencia, ou seja, da compreensão singular de que vivemos numa  pluralidade de realidades, desenvolveremos uma percepção bem mais real do nosso lugar e ação no mundo.
             Diante de tanta riqueza de interação associada a uma sensibilidade para olharmos além do que é palpável e material, podemos ter boas ideias.      
            Todos os dias somos tomados por ideias, que na maioria das vezes passa-nos despercebida por estarmos preocupados demais em darmos conta das nossas atribuições diárias a que a vida nos submete.
         E quando, vez por outra nos permitimos ouvir, ouvir o que de fato sentimos e queremos, temos e conquistamos grandes avanços.   
          Precisamos aprender a nos desvencilhar das armadilhas do ativismo que nos rouba o tempo de ouvir o nosso próximo, que nos leva a oportunidade de olharmos nos olhos do nosso irmão, de sermos acolhidos quando nos sentimos fragilizados,  que nos nega o tempo de ouvir uma boa música, jogar conversa fora, lembrar um pouco das nossas boas lembranças e rir, compartilhar sorrisos, brindar a vida com carinho e afeto.  
    Essas situações são propícias para a explosão de boas ideias, pois a partir de situações aparentemente normais e cotidianas, encontrados a solução de problemas de nosso meio.
        Desta forma, perceberemos que a maioria das boas ideias são frutos as coletividade e da interação.
         É da ação colaborativa que surgem boas e grandes ideias, por meio de percepção, análise estudo, elaboração e reelaboração de ideias anteriores.   


   Desejo a todos uma semana explosiva de ideias a todos.

Maria Cristiane Gomes
abril de 2016
Sobral/Ceará 



P.S.: imagem 1: de https://arvoredasideias.wordpress.com/
Imagem 2:http://www.canstockphoto.com/colorful-solidarity-design-tree-14699494.html